google-site-verification=21d6hN1qv4Gg7Q1Cw4ScYzSz7jRaXi6w1uq24bgnPQc

TODO MUNDO QUASE MORTO (2004 ) - FILM REVIEW

todo-mundo-quase-morto-2004-film-review

2004 foi definitivamente um ano atípico para os mortos vivos no cinema. Um remake de Despertar dos mortos ganhou as telas pelas mãos de Zack Snyder e sua releitura foi bem recebida pela crítica e público. E no mesmo ano, "Todo mundo quase morto" chegou aos cinemas para se tornar um dos melhores filmes do gênero já feitos. Ao usar o humor britânico para realizar uma magnífica crítica social, o diretor Edgar Wright se aproximou muito mais do clássico Despertar dos mortos que o próprio filme de Snyder. Isto não é demérito algum para a obra de Zack, que apenas seguiu um caminho diferente.

Na trama de "Todo mundo quase morto", Shaun (Simon Pegg) trabalha como vendedor e divide uma casa com Ed (Nick Frost) seu melhor amigo, e Pete (Peter Serafinowicz). Sua vida e seu entorno, vivem como mortos vivos, mesmo antes do apocalipse zumbi acontecer. E a mesmice da vida de Shaun não permite que ele se dê conta  das variações em seu ambiente, quando cidadãos comuns se tornam zumbis.  O personagem chega ao absurdo de tropeçar no mesmo local, mais de uma vez, demonstrando sua completa desatenção. 


A estranha atmosfera zumbi que permeia o início da história parece um exagero para apenas traçar um paralelo com o comportamento dos mortos vivos, mas na realidade, tanto Simon Pegg quanto Edgar Wright, que foram responsáveis pelo roteiro, mostram de forma visionária, como nós passamos a viver como zumbis devido a inúmeros fatores tecnológicos.

O diretor mostra de maneira nada sutil, já em sua abertura, como a mecanização do trabalho e a falta de brilho nas atividades diárias não ficam distantes dos mortos vivos que veremos na sequência. O que dá movimento às simples funções do dia a dia é a brilhante edição, dinâmica, que remete a diversos momentos de “Requiem para um sonho”, que também ganhou uma belíssima edição especial pela Obras primas do cinema. 


Até mesmo as reações corporais, como simples movimentos e olhares, se tornaram semelhantes aos zumbis. O próprio George A. Romero ficou tão impressionado com o trabalho de Simon Pegg e Edgar Wright que os convidou para uma participação especial em Terra dos Mortos (2005) como zumbis.

Aliás, referências? Temos...

O rifle que usam no Winchester é, naturalmente, um Winchester modelo 66. É a mesma arma usada em A Noite dos Mortos-Vivos (1968) e A Noite dos Mortos-Vivos (1990). 

O local de trabalho de Shaun é a Foree Electric. Ken Foree estrelou em Despertar dos Mortos (1978), e teve uma participação especial em Madrugada dos Mortos (2004). 


Quase no início, quando Shaun está saindo da loja onde pega uma lata de Coca-Cola e o Cornetto, há uma pizzaria atrás dele e à sua esquerda. O nome do restaurante é "Bub's Pizzas",  uma referência ao principal zumbi acorrentado (que aprendeu a segurar e apontar uma arma) em Dia dos Mortos (1985). Nesse filme, o médico chamou aquele zumbi de "Bub".

Quando Shaun está ao telefone com sua mãe, Barbara. Ed grita: "Estamos indo buscar você, Barbara!". Esta é uma referência a uma fala clássica  dita no original "A Noite dos Mortos-Vivos .  

Há duas referências a Evil Dead (que a Obras primas do cinema também lançou na edição mais incrível em Bluray do ano de 2021): Na loja de departamentos, Shaun menciona um funcionário chamado Ash (o protagonista da franquia Evil Dead). Em outro momento, ele diz a frase "Junte-se a nós ",  outro aceno ao filme de Raimi.


Em outro momento, Shaun diz a Liz que vai levá-la ao "lugar que faz todos os peixes". Quando ele abre a lista telefônica, você pode ver que o restaurante se chama literalmente "Fulci's: o lugar que faz todos os peixes". Lucio Fulci é um diretor conhecido por seus filmes de zumbis e em Zumbi 2, filmou uma das cenas mais marcantes do cinema envolvendo um zumbi sendo atacado por um tubarão. 

Enfim, 

o filme é perfeito. E ainda bem que a continuação planejada por Simon Pegg e Edgar Wright não saiu do papel. O título proposto era "From Dusk till Shaun", referência a Um drink no inferno. Curiosamente,  essa ideia teve vida após a morte, já que um cartaz pode ser visto  no filme Homem-Aranha no Aranhaverso (2018), que é um desenho que trata realidades alternativas, o que no caso, foi bem apropriado. 




Dirigido por Edgar Wright e escrito por Wright e Simon Pegg, Todo Mundo Quase Morto chega pela primeira vez em alta definição no Brasil em uma edição de colecionador contendo um Blu-ray (50GB), um DVD com uma hora e meia de extras, luva especial numerada, três cards, um pôster e livreto. O filme é uma grande sátira aos filmes de zumbis combinada com altas doses de humor britânico, resultando em uma obra hilária e arrepiante. 

👉Disco 01:
 
Todo mundo quase morto (Shaun of the dead)
Áudios: DTS-HD Master Audio 5.1 e 2.0 (Inglês) | DTS-HD Master Audio 5.1 (português)
Resolução: 1080p High Definition (1920 x 1080p)


👉DVD de Extras:

Áudio Comentado por Simon Pegg e Edgar Wright
Trechos Aumentados
Cenas Cortadas
O Homem que Seria Shaun
Pete Ameniza as Coisas
Buracos no Enredo
Diário de Vídeo de Simon Pegg
Diário de Vídeo de Lucy Davis
Diário de Vídeo de Joe Cornish
Testes de Elenco
O Flip Chart de Edgar e Simon
Efeitos Especiais
Testes de Maquiagem
Featurette Promocional
Teasers
Trailers

➤Informações do filme e da edição:

Ano de Produção: 2004
Título Original: Shaun of the Dead
Países de Produção: Inglaterra – França
Gênero: Comédia | Terror
Direção: Edgar Wright
Elenco Principal: Simon Pegg, Kate Ashfield, Nick Frost, Lucy Davis, Dylan Moran, Nicola Cunningham, Keir Mills, Matt Jaynes, Gavin Ferguson, Peter Serafinowicz
Resolução: 1080p High Definition (1920 x 1080p)
Idiomas: Inglês (original) | Português (dublagem)
Áudios: DTS-HD Master Audio 5.1 e 2.0 (Inglês) | DTS-HD Master Audio 5.1 (português)
Legendas: Português
Formato de Tela: 2.35:1
Cor: Colorido
Duração Aproximada: 99 minutos
Região: A
Faixa Etária: 18 Anos



Tecnologia do Blogger.