google-site-verification=21d6hN1qv4Gg7Q1Cw4ScYzSz7jRaXi6w1uq24bgnPQc

A ALDEIA DOS AMALDIÇOADOS (1960) - FILM REVIEW

A paranoia americana e a invasão alienígena no cinema dos anos 50

Com o fim da Segunda Guerra em 1945, travada entre os países do Eixo (que eram basicamente, Alemanha, Itália e Japão) contra os Aliados (resto do mundo...). A vitória (óbvia?) dos Aliados, gerou um virtual novo conflito, novamente pelo poder e controle: a Guerra Fria, entre os vitoriosos EUA e URSS.

É chamada "fria" porque não houve uma guerra direta entre as duas superpotências. A corrida armamentista pela construção de um grande arsenal de armas nucleares foi o objetivo central durante a primeira metade da Guerra Fria, estabilizando-se na década de 1960 até à década de 1970 e sendo reativada nos anos 1980 com o projeto do presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan chamado de "Guerra nas Estrelas".

Nesta época houve toda a questão espacial, gerando muitas teorias de conspiração, inclusive uma de que os EUA não foram à Lua como exibido na TV, sendo aquilo um filme dirigido por Stanley Kubrick (!!) para iludir as pessoas sobre a suposta superioridade norte americana na corrida espacial . Para quem não lembra, a URSS já havia mandado Yuri Gagarin no espaço, saindo na frente da corrida.

O feito de Gagarin, primeiro homem a orbitar a Terra, não foi transmitido ao vivo, como a posterior viagem à Lua, mas repercutiu em todo o planeta. “Nunca antes na história um ser humano via o seu mundo deste ponto de vista exterior. Um novo ambiente passou a ser explorado naquele dia. A volta que Yuri Gagarin deu ao mundo foi um passo vital para a conquista espacial”

A guerra, como dito, não ocorreu. Mas os efeitos da Guerra Mundial e da iminência de um novo conflito geraram pavor, tensão e paranoia na população. E as manifestações artísticas, eram fortemente influenciadas por esta questão. E o cinema não ficou de fora, claro. O conflito foi reinterpretado em vários e vários filmes, principalmente nos filmes de ficção. Geralmente tratavam de temas como morte coletiva, monstros radioativos, testes nucleares, bases subterrâneas, mísseis, satélites, supercomputadores e até mesmo o "botão vermelho".

A ideia era que as pessoas refletissem sobre o assunto. Como nessa guerra tudo era invisível e secreto, a imaginação sobre como as instituições estariam se comportando ou deveriam se comportar preencheu a falta de informações reais. De certa forma, o filme concretizava os pesadelos do pós-guerra, como fragmentação social, guerras com bombas atômicas, colapso social e econômico, perda da humanidade, excesso de racionalismo, invasões alienígenas, fi m da privacidade, militarismo, fim do mundo.

Afinal, como esquecer filmes como "O Dia em que a Terra Parou", "Vampiros de Almas" e "Guerra dos mundos"? Assim nasceu este cinema, que a obras primas homenageou lançando 4 filmes daqueles anos, que mostram exatamente, as fobias sociais que se instauraram na época.

Todos estes tinham como base o medo. O medo de os americanos não serem eles mesmos, da iminente destruição, de perder a humanidade, de sofrerem mutações, de perder a identidade. E de forma indireta, as invasões extraterrestres eram a forma que todos estes medos se manifestavam. E se encaixavam perfeitamente, inclusive.

O que nos leva a Aldeia dos amaldiçoados

Baseado no livro The Midwich Cukkoos, de John Wyndham, e lançado em 1957, o filme trata de um conflito insólito na cidade interiorana de Midwitch, na Inglaterra, onde certo dia, de maneira súbita, todos os moradores desmaiam ao mesmo tempo e ficam assim por algumas horas, até que estranhamente todos despertam. Meses depois, doze mulheres dão à luz, ao mesmo tempo, a crianças assustadoramente idênticas: inteligentes, platinadas e não demonstram sentimentos por ninguém, exalando frieza diante de seus olhares penetrantes e posturas manipuladoras.

O título do livro refere-se ao fato de que, quando os cucos põem ovos, eles os depositam nos ninhos de outros pássaros (insuspeitos), que então criam os filhotes de cuco como seus. Para agravar a natureza insidiosa desse processo, os filhotes dos cucos muitas vezes matam seus companheiros de ninho em competição por comida e atenção dos pais.

Originalmente planejado para  começar a pré-produção no mesmo ano em que o livro saiu, o roteirista Stirling Silliphant disse que o escreveu com Ronald Colman em mente, mas na época o produtor Milo O. Frank Jr. queria que Glenn Ford estrelasse. Este impasse fez a MGM reprogramar as filmagens duas vezes. Uma dela porque em 19 de maio de 1958, Ronald Colman  faleceu, vítima de infecção pulmonar e deixando a atriz Benita Hume, viúva. Ela casou-se com George Sanders em fevereiro do ano seguinte.

E numa daquelas situações inusitadas da vida,  Sanders estrelou o filme, já que Glenn Ford estava ocupadíssimo com outros filmes própria MGM. A obra era para ser filmada nos EUA, mas a MGM relocou a equipe para seus estúdios britânicos. Wolf Rilla foi designado para dirigir. Por causa dos prazos, ele teve um fim de semana para reescrever pontos o roteiro de Stirling Silliphant, pois era claramente adequado para ser filmado nos EUA.

E foi um grande acerto da MGM, pois a trama pedia por um ar mais britânico. Curioso como, enquanto o filme trata da paranoia da Guerra Fria, podemos olhá-lo com a ótica atual. Eu vejo pequenos ditadores, que reagem ao serem ameaçados. Vejo um governo controlador, que coloca todos a mercê dos seus atos. 

Isso mostra como o filme permanece atual. A diferença é que o inimigo agora é outro.


Classicline lançou Coleção Malditos: Digipack Duplo (A Aldeia dos Amaldiçoados + A Estirpe dos Malditos)  Veja detalhes da edição. E para comprar, só clicar no link acima. 
 

A Aldeia dos Amaldiçoados  (1960)

👉Informações:

Elenco: George Sanders, Barbara Shelley, Martin Stephens, Michael Gwynn, Jenny Laird, Laurence Naismith
Direção: Wolf Rilla
Produtor: Ronald Kinnoch
Roteiro: Stirling Silliphant, George Barclay
Fotografia: Geoffrey Faithfull
Direção de Arte: Ivan King
Ano de produção: 1960
Pais de Produção: Reino Unido
Cor: Preto e Branco
Duração Aprox.: 77 min.
Idioma: Inglês, Português 
Legendas: Português


A Estirpe dos Malditos (1964)

Uma pesquisa da Unesco identifica seis crianças, com a mesma idade e de países diferentes, com grandes semelhanças físicas e intelectuais. Levadas à Londres para serem estudadas por cientistas, elas demonstram ter inteligência fora do comum e inexplicáveis poderes telepáticos. Nenhuma delas tem pai e ninguém sabe de onde vieram.

👉Informações:

Elenco: Ian Hendry, Alan Badel, Barbara Ferris, Alfred Burke, Sheila Allen, Ralph Michael, Patrick Wymark 
Direção: Anton M. Leader
Produtor: Ben Arbeid, Lawrence P. Bachmann
Roteiro: John Briley
Fotografia: Davis Boulton
Direção de Arte: Elliot Scott
Ano de produção: 1981
Pais de Produção: Reino Unido
Cor: Preto e Banco
Duração Aprox.: 90 min.
Idioma: Inglês, Português
Legendas: Português

Tecnologia do Blogger.